Aside 2 May

Enquanto desenhas constelações no meu corpo e os teus lábios estalam de adoração, pergunto, amor, que crostas são essas e o que sairá delas. Não é o tempo que me assusta, ainda não, já não; É a nuvem narcótica que me tolda os pensamentos. Não é a pele, mas também a pele, dir-me-ias se te perguntasse.

Mas será que eu quero que me amem a pele?

Advertisements
Aside 18 Dec

Quem nos ensinou a amar?

17 Jun

Por vezes, quando um copo de vinho não é o suficiente, uma solidão bruta ergue-se dentro de ti. Absorve tudo – das almas às paredes dos abrigos – mas não é, como poderia pensar numa primeira instância, avassaladora. Simplesmente, existe, sempre lá esteve, e tu não estavas atento o suficiente para dar pela sua presença.

E não há pessoa que possa preencher esse vácuo. Porque uma pessoa no vácuo é isso mesmo: um objecto no vazio. Um outro ser a boiar numa expansão negra, com fronteiras fictícias. O vazio está à nossa volta, mas também somos nós. A única resposta era preencher caoticamente o vazio com os ódios, os amores e as complexidades das existências humanas. Mas era uma operação fútil: a solidão continuava lá e inspirava uma raiva que te virava contra todos os que se aproximavam.

Um dia pensaste – talvez o vazio seja Deus. Mas deus, esse sim, estava fora dele; era tudo o que o transcendia. E assim, transcendia-te a ti também.

Por isso preencheste o vazio com livros e melodias tristes, com filosofias e conversas de superioridade intelectual. Derramaste depois nessa solidão o teu corpo e os seus meandros húmidos. Mas entre dois gemidos, continua a haver um espaço em branco.

E aí encontraste, talvez, uma verdade humana: o problema não é o vazio, que é omnipresente e imortal. O teu problema talvez seja o teu incómodo com ele.

if you let me go on holidays i promise i’ll come back sane

17 Mar

the wisdom to know the difference

15 Mar

And some things are.

Night, night

11 Dec

By Serge

\\Tatooine by Jeremy Messersmith

21 Nov

«Talvez o homem não goste só da prosperidade

14 Oct

talvez goste do sofrimento.»

Dancing in the rain

12 Oct

Klaus Kampert

There are many things that we would throw away if we were not afraid that others might pick them up.*

11 Oct

Privilege by Jessica Craig Martin

*The Picture of Dorian Gray, Oscar Wilde